Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Segunda-feira, 28 Setembro 2020
Secções
Do Círculo Vermelho à Cidade Geométrica
 

i Exposições Temporárias

08 Ago a 10 Out

Espinho

Do Círculo Vermelho à Cidade Geométrica

  • Vila Nova de Gaia
  • |
  • 10 Ago a 31 Out
  • i Exposições Temporárias

X Bienal Internacional de Gravura do Douro

 

Vila Nova de Gaia vai receber a Bienal Internacional de Gravura do Douro, um certame que conta com a participação de 625 artistas, provenientes de 64 países. De 10 de agosto a 31 de outubro, 1300 obras dão corpo a 16 exposições, distribuídas pelas localidades ribeirinhas de Alijó, Bragança, Celeirós, Chaves, Favaios, Foz Côa, Régua, S. Martinho de Anta, Vila Real e Gaia.

O Espaço Corpus Christi será lugar de memória da II Guerra Mundial, quando se assinalam 75 anos sobre o seu fim. Bert Menco, artista neerlandês representado em mais de 100 coleções em todo o mundo, foi convidado para comissariar esta mostra, reunindo obras de gravadores que experienciaram a guerra na "primeira pessoa" ou através de narrações de familiares, como é o caso do próprio. A exposição "2ª Guerra Mundial, 75 anos depois: testemunhar através da obra gráfica" conta ainda com uma obra de José de Guimarães "um poderoso trabalho, que reflete o particular papel de Portugal no confronto de uma crise de refugiados, tanto na época como agora" (na imagem).   Alicerçada na mais antiga região vinícola demarcada do mundo - o Douro, região laureada por dois patrimónios da humanidade atribuídos pela UNESCO e mundialmente reconhecidos quer pela sua paisagem vinhateira, quer pelo património arqueológico do Vale do Côa (o maior santuário de gravura paleolítica do mundo), o Douro é palco também na contemporaneidade, de um dos maiores eventos de arte gráfica do mundo, reunindo assim dentro de si, uma força e dimensão que ultrapassa as fronteiras do país e se projecta para horizontes infinitos. Nesta edição do Festival de Gravura do Douro que, à semelhança do que tem vindo a acontecer, conta com a curadoria e o entusiasmo de Nuno Canelas, haverá lugar a uma homenagem ao artista plástico Silvestre Pestana.  


Vila Nova de Gaia will be hosting the International Printmaking Douro Biennial, this year counting with the participation of 625 artists, coming from 64 countries. From 10 August to 31 October, 1300 works shape 16 exhibitions, spread along the riverside neighbourhoods of Alijó, Bragança, Celeirós, Chaves, Favaios, Foz Côa, Régua, S. Martinho de Anta, Vila Real and Gaia.
The Espaço Corpus Christi, in Vila Nova de Gaia, will be recalling World War II, this year celebrating the 75th anniversary of its end. Bert Menco, Netherlander artist represented in over 100 collections all over the world, was invited to commission this exhibition, gathering works from printmakers who have personally experienced war or become aware of it through their relatives’ accounts, as it happened with him. The exhibition “World War II, 75 years after: bearing witness through printmaking” also includes one piece by José de Guimarães, “a powerful work that reflects Portugal’s particular role in the conflict of a refugee crisis, both then and now” (see picture).
The Douro region, the world’s oldest demarcated wine region, embraces two World Heritage Sites: the Alto Douro Wine Region and the Prehistoric Rock Art Sites in the Côa Valley and Siega Verde, renowned for their vineyard landscape and archaeological heritage, respectively.But it is also home to one of the biggest events of graphic art in the world, assembling a strength and a dimension that cross the borders of the country and project over infinite horizons.
This edition of the Douro printmaking festival, once again relying on the curatorship and the enthusiasm of Nuno Canelas, also pays homage to the plastic artist Silvestre Pestana.

Vila Nova de Gaia recibe la Bienal Internacional de Grabado del Duero, un evento que cuenta con la participación de 625 artistas, de 64 países. Del 10 de agosto al 31 de octubre, 1300 obras componen 16 exposiciones, distribuidas por las localidades ribereñas de Alijó, Bragança, Celeirós, Chaves, Favaios, Foz Côa, Régua, S. Martinho de Anta, Vila Real y Gaia.
El Espaço Corpus Christi será un sitio de memoria de la II Guerra Mundial, cuando se celebran los 75 años de su final. Bert Menco, artista neerlandés representado en más de 100 colecciones en todo el mundo, fue invitado a comisariar esta muestra, reuniendo obras de grabadores que vivieron la guerra directamente o a través de relatos de familiares, como es su caso. La exposición “2. ª Guerra Mundial, 75 años después: testigos a través de la obra gráfica” incluye, además, una obra de José de Guimarães, “un poderoso trabajo, que reflecte el papel particular de Portugal en el confronto de una crisis de refugiados, ya sea en esa época o ahora” (en la imagen).
La región del Duero, la región vinícola determinada más antigua del mundo, acoge dos Sitios Patrimonio Mundial: la Región Vitícola del Alto Duero y los Sitios de Arte Rupestre Prehistórico del Valle del Côa y de Siega Verde, conocidos en todo el mundo por sus viñedos y por su patrimonio arqueológico, respetivamente. Pero es también el escenario de un de los mayores eventos de arte gráfico en el mundo, reuniendo, por eso, una fuerza y una dimensión que ultrapasa las fronteras del país y se proyecta hacia horizontes infinitos.
En esta edición del festival de grabado del Duero, que, como siempre, cuenta con la curaduría y el entusiasmo de Nuno Canelas, se rendirá homenaje al artista plástico Silvestre Pestana.

 
 
X Bienal Internacional de Gravura do Douro
Acções do Documento
 
Proximidades

i Música

04 Out

Vila Nova de Gaia

Miguel Amaral & Yuri Reis

Espaço Corpus Christi

 
Agenda
Setembro
Do
1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30
« Setembro 2020 »
Newsletter