Saltar para o conteúdo
Morte à morte!150 anos da abolição da pena de morte em Portugal

Morte à morte!150 anos da abolição da pena de morte em Portugal

Exposições

7 Abr - 24 Jun 2018

Porto

Morte à morte!150 anos da abolição da pena de morte em Portugal

Morte à morte!150 anos da abolição da pena de morte em Portugal

Porto

terça a sexta-feira : 10:00h-18:00 sábados, domingos e feriados : 15:00h-19:00h Encerrado à segunda-feira.

Exposições

7 Abr - 24 Jun 2018

Porto

Morte à morte!150 anos da abolição da pena de morte em Portugal

Prisioneiro na Penitenciária de Lisboa, [19--], Fotografia de António Novais.

A Assembleia da República assinalou os 150 anos da publicação da carta de lei de 1 de julho de 1867 – reforma penal das prisões e abolição da pena de morte para crimes comuns e de trabalhos públicos –, através da realização da exposição "Morte à morte! 150 anos da abolição da pena de morte em Portugal / 1867-2017", comissariada pelo historiador Luís Farinha. O título da exposição – "Morte à morte!" – é retirado de uma carta de Victor Hugo ao diretor do Diário de Notícias, em julho de 1867, felicitando Portugal pela abolição da pena de morte.

Mais informação

  A Assembleia da República assinalou os 150 anos da publicação da carta de lei de 1 de julho de 1867 – reforma penal das prisões e abolição da pena de morte para crimes comuns e de trabalhos públicos –, através da realização da exposição "Morte à morte! 150 anos da abolição da pena de morte em Portugal / 1867-2017", comissariada pelo historiador Luís Farinha.       Enquadrada por um pequeno filme, a mostra destaca o pioneirismo de Portugal na abolição da pena de morte e apresenta, através de textos, imagens e documentos, os antecedentes jurídicos e políticos, as práticas anteriores de execução, as repercussões nacionais e internacionais da aprovação da carta de lei, os sucedâneos da pena de morte (pena celular perpétua e degredo para as colónias), as tentativas de reposição da pena capital, fazendo-se ainda referência à situação atual no mundo. Apresentam-se também mapas ilustrativos dos países abolicionistas e retencionistas em 1880, 1980 e na atualidade.   A exposição inclui três documentos: o livro Dei delitti e delle pene, de Cesare Beccaria, referência fundamental dos movimentos humanitários e abolicionistas do século XVIII, exemplar pertencente à Biblioteca Passos Manuel, um fac-símile da carta de lei de 1 de julho de 1867, depositada no Arquivo Nacional da Torre do Tombo, e a Constituição de 1976, do espólio da Assembleia da República, que abole a pena de morte em Portugal para todos os crimes e proíbe a extradição por delitos puníveis com aquela pena na legislação do país requisitante. O título da exposição – "Morte à morte!" – é retirado de uma carta de Victor Hugo ao diretor do Diário de Notícias, em julho de 1867, felicitando Portugal pela abolição da pena de morte. [Ver Abolição da pena de morte (1867) ] A mostra é acompanhada por um catálogo com o mesmo título, editado na Coleção Imagens e Documentos da Assembleia da República.      

Imagem

Legenda: Prisioneiro na Penitenciária de Lisboa, [19--], Fotografia de António Novais.

Créditos: AML-NF

Eventos nas Proximidades
“O Terror chamado PIDE”, por Irene Flunser Pimentel

Serviço Educativo

“O Terror chamado PIDE”, por Irene Flunser Pimentel

5 Mar 2024 | Maia

Fórum da Maia | 14:30

No dia 5 de março, no Fórum da Maia, Irene Flunser Pimentel irá abordar, através de uma...

Rafael Bordalo Pinheiro: A Cerâmica que está na Moda

Serviço Educativo

Rafael Bordalo Pinheiro: A Cerâmica que está na Moda

5 Mar 2024 | Porto

Museu Romântico | 12:30-13:00

Dando a conhecer esta figura ímpar do século XIX, falamos também de algumas peças de sua...

Caminheiros e Estrada 43 em Jogos de Azar, de José Cardoso Pires – Contos de Memória e Resistência

Etc

Caminheiros e Estrada 43 em Jogos de Azar, de José Cardoso Pires – Contos de Memória e Resistência

7 Mar 2024 | Porto

Biblioteca Municipal Almeida Garrett | 18:30-19:30

Iniciativa de promoção da leitura dirigida ao público adulto que visa divulgar contos de grandes...

A carregar......
Ver Mais